Na Conta Azul Con, Luiza Trajano ressalta que o contador do futuro deve se modernizar, mas sem perder contato com o mundo físico

“O contador do futuro não é mais aquele que só se preocupa com números, mas sim o que é educador, se moderniza e entende que o digital é importante, sem perder o contato físico”. Essa é a grande lição da presidente do Conselho de Administração da Magazine Luiza, Luiza Trajano, em palestra realizada, nessa segunda-feira (08), para a Conta Azul Con 2021, terceira edição do evento de contabilidade e tecnologia promovido pela fintech Conta Azul, que acontece de maneira online até o dia 11 de novembro.

 

Luiza Trajano falou ao público sobre a importância de os contadores buscarem a empatia e se colocarem no lugar de seus clientes, a fim de oferecer um atendimento de excelência, ouvir suas reclamações e entender suas demandas. Mesmo após anos no comando de uma das varejistas mais bem-sucedidas do país, Luiza ainda demonstra satisfação em atender diretamente seus clientes. “Inovação, atendimento e relacionamento são as únicas coisas que diferenciam uma empresa da outra e tudo se relaciona à empatia. Ou você tem empatia ou você não vende. Aquele momento de falar com o cliente é essencial, precisamos entender as dificuldades e a falta do conhecimento técnico. Eu continuo atendendo todos que vêm falar comigo e estou sempre aprendendo. O cliente é a razão de ser da empresa”, explica ela.

Para a executiva, o mundo digital mudou a forma do cliente falar com a empresa, mas não a forma de sentir. “O digital deve facilitar a vida dos clientes e ser educativo. Não é apenas um site ou aplicativo, mas toda uma cultura de velocidade e simplicidade, sem simplismo”, afirma, após relatar que a inclusão tecnológica é essencial para todo profissional. Ela relata que a sua própria imersão digital se deu após um processo longo e persistente, mas que foi muito valioso.

Em sua palestra, Luiza ainda ressaltou a importância do empreendedorismo não apenas com a criação de um novo negócio, mas por meio dos próprios colaboradores da empresa. Segundo ela, é empreendedor todo mundo que busca as soluções e as melhorias no dia a dia da empresa. Além disso, para ela, o empreendedor também deve se preparar e atender as demandas esperadas pelo mercado.

 

“Também é preciso olhar para o país. O empresário que não aplicar as práticas de ESG (Environmental, Social and Corporate Governance) e não buscar a diversidade não vai sobreviver. É preciso equilibrar o lucro da empresa com o propósito, estudar, dar a atenção necessária aos clientes e se preparar muito. Os pequenos negócios têm um papel essencial e isso foi muito percebido durante a pandemia”, ressalta. Luiza, por fim, ainda comentou sobre uma proposta que vem discutindo com o Sebrae para a descentralização dos sistemas de credit score e para permitir que os escritórios de contabilidade possam realizar auditorias para uma concessão mais rápida e acessível de crédito.
Fonte: JornalContábil | 03/12/2021

Últimas Publicações

© Todos os direitos reservados. | Desenvolvido por TBrWeb